sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Para início de conversa...

Paulo de Tarcio

Creio que todos puderam observar o objetivo da criação do "Paradoxo". As palavras, como já disse, fascinam pela sua multifuncionalidade, sua capacidade de ser um instrumento de comunicação em relação ao universal - no sentido de generalidade - e em relação ao EU. É de se apreciar - nos dias sufocantes de hoje - aqueles que gostam de dedicar algum tempo para ler ou escrever, ao invés de dispender atenção às  Bobas Badernas Babélicas, e espero que esse grupo não se disfaça. Usar o potencial das palavras - mesmo em parcialidade - é afirmar-se como um verdadeiro usuário da língua. Por mais complexas que elas possam parecer, há uma forma de desvendá-las, de encontrar o seu verdadeiro valor, apesar de que seja mais evidente um significado enganoso. No entanto, haverão momentos em que elas serão usadas sem nenhuma finalidade semântica. Mesmo assim, em todos os momentos use o seu coração, ponha-se no lugar do irônico (no sentido de concessor de ideias), imagine a experiência, o ambiente, deixe que a sensação o envolva; esses são, e serão, os aliados daqueles que apreciam e lidam com as palavras, que são o "paradoxo essencial". Daqui em diante, colocarei aqui demonstrações dessa apreciação, daqueles que honram a história da Literatura e, vez ou outra, minhas também. Desejo uma ótima leitura - os que preferirem assim, considerem o plural - a todos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário