sábado, 20 de fevereiro de 2010

Despedida de um amante

Paulo de Tarcio

Sinto uma sensação horrível, nesta noite terrível.
Sinto algo peculiar, frio, horrendo, insensível.
Há muito senti algo parecido, não igual, semelhante.
Foi quando meu espírito tornou ao estado de amante,
Quando meu coração acelerou, minha respiração ofegou...
O amor me envolveu, me usou, me atrapalhou, me enganou.
Ele me fez rir e chorar, calar e gritar, gostar e... Amar.
Esse sentimento não deixou que eu vivesse a minha vida
Fui induzido a não me viver, mas viver a vida daquela.
Por mais que me dissessem, sozinho eu a via como a mais bela.
Eu a amei, mesmo sem ser amado, a observei e não era notado.
E como o amor pediu, a vivi, apesar de não lhe ser do agrado.
Mas, minha sensação agora não é essa - quem me dera que o fosse.
Sinto algo gélido, macabro, absurdo, inesperado... mas marcado.
Acho que aqui me despedirei, sei que aqui não mais voltarei.
Tentei meus dias prolongar, amar todos, mas não como amei ela.
Fiz tudo, tentei alcançá-la, mas o destino intrometeu-se.
Entretanto não a consegui, minha vida foi em vão...meu amor foi em vão.
Com minhas mãos trêmulas, escrevo que amei mais a ela que a mim...
E, assim, me despeço, mas mesmo morto - como a ela prometi - nunca...
Jamais a esquecerei... Já posso ver o vazio, sem luz ao fim do túnel.
Nunca mais voltarei a ser... a partir de agora vagarei pelo não-ser.
E tudo isso, toda a dor e sofrimento, agora eu sei, tem tudo a ver...
Morri de tanto ela viver...

Nota:Fiz esse texto em uma noite de insônia; pensei em alguns escritores da segunda geração e tentei misturar o romântico em uma estrutura um pouco mais moderna. E vejam no que deu... Boa leitura!

3 comentários:

  1. eu simplismente adorei esse, demais, :p aquela coisa meio álvares de azevedo, e a última frase de muito impacto ^^ cá entre nós, o byronismo é o que há no romantismo, mas eu sou suspeita pra falar (fascínio por toda essa coisa de sentimentos intensos, dores, etc. hehe)

    ResponderExcluir
  2. Noites de insônia? Hum... Interessante e familiar.
    Bacana o texto. Se inspirou nos poetas românticos, não? Pensei que fosse desabafo e tomei um susto.

    ResponderExcluir
  3. Adorei!!! Estou vivendo esse momento, um momento de ter sem querer, me despedir dessa vida de ser amante!!!! Doi, doí muito mais tem que ser!!!

    ResponderExcluir